Endodontia com Microscópio

A endodontia é um procedimento terapêutico para manter o dente afetado por uma cárie que já atinge a polpa, que é o tecido mole que fica dentro do dente e que possui vasos sanguíneos e nervos, esse processo normalmente está associado a um processo infecioso é por isso que a grande maioria dos pacientes relata dor e / ou sensibilidade ao frio e / ou calor e por isso procuram a consulta.

Endodontia com Microscópio

A endodôntica é frequentemente necessária porque o dente sofreu um trauma.

O tratamento endodôntico consiste em detectar o número de canais e a entrada neles, determinar o comprimento e o preparo biomecânico adequado e a posterior obturação com selamento hermético dos mesmos.

Com o microscópio, as técnicas operatórias não são modificadas, mas a precisão e exatidão do procedimento são multiplicadas graças à ampliação e ao aumento da iluminação.

Podem ser vistas fissuras e lugares impossíveis, canais calcificados e anatomias radiculares complexas podem ser alcançados e, assim, alcançar resultados muito mais seguros e eficazes para o paciente.

Seu manejo não é fácil, mas um especialista em endodontia e treinado em microscopia terá vantagens no diagnóstico e no tratamento.

Na Clínica Dentária Ortodôntica do Marquês em Lisboa oferecem tratamentos em todas as áreas da saúde oral; Periodontia, Cirurgia, Prótese, Estética, Reabilitação, Ortodontia, Odontopediatria e Endodontia onde contamos com especialistas em cada área.

As melhores clínicas odontológicas devem ter especialistas bem treinados em cada área e ter tecnologia que eles saibam utilizar e assim alcançar os melhores resultados nos tratamentos.

Conheça os tipos de ortodontia e como funcionam seus tratamentos

A ortodontia é uma especialidade odontológica que tem o objetivo de mudar a estética e a funcionalidade do sorriso, podendo corrigir dentes tortos, melhorar a mordida cruzada, fechar o espaço entre os dentes da frente e até melhorar a dicção dos pacientes. Por isso, é importante que se conheça os tipos de ortodontia.

tipos de ortodontia e como funcionam seus tratamentos

Se uma pessoa tem problemas com a sua arcada dentária, notando que ela está entortando, que o sorriso está desalinhado ou que um dente está nascendo em cima do outro, o ideal é que ela procure um ortodontista o mais breve possível.

Isso para que o profissional identifique o problema e suas possíveis causas, indicando o melhor tratamento para a correção do problema.

Um dos procedimentos mais usados é o uso de aparelhos, pois ele consegue consertar a maioria dos problemas na arcada dentária, contribuindo com a estética e a funcionalidade da cavidade oral.

Apesar de muito benéfico, muitas pessoas não se sentem confortáveis de realizar

tal procedimento devido ao impacto estético causado no sorriso.

Por isso, a odontologia desenvolveu formas de amenizar esse problema, como o aparelho ortodontico transparente e o modelo invisível, recuperando a mordida ao mesmo tempo em que a aparência é preservada e aperfeiçoada.

O ortodontista irá trabalhar para garantir um sorriso mais bonito e funcional para o seu paciente.

Assim, o tratamento ortodôntico vai ajudar não só na posição dos dentes, mas também a desenvolver a função adequada da mastigação, deglutição e fala, além de diminuir disfunções na articulação temporomandibular.

Como saber se é necessário realizar o tratamento ortodôntico?

Existem algumas situações que indicam a necessidade de um tratamento ortodôntico, veja quais são:

  • Sobremordida;
  • Mordida cruzada anterior;
  • Mordida cruzada;
  • Mordida aberta;
  • Desvio de linha mediana;
  • Diastema;
  • Apinhamento.

Tipos de tratamentos para ortodontia

Existem vários tipos de tratamentos ortodônticos para a resolução de problemas estruturais da arcada dentária, seja ela unitária, parcial ou integral.

A ortodontia se baseia, principalmente, em aparelhos que colocam uma leve pressão nos dentes e ossos maxilares para a readequação posicional do sorriso.

O tipo de aparelho será definido pelo profissional a partir da gravidade do problema do paciente e seus desejos, definindo o tratamento mais adequado para determinada situação.

Aparelho fixo

O aparelho fixo é o mais comum dentro da ortodontia. Ele consiste em bandas, fios e braquetes.

As bandas são fixadas no entorno de um ou mais dentes e tem função de âncoras para o aparelho, enquanto os braquetes ficam presos na parte externa do dente.

Os fios ficam em forma de arco, passando por entre os braquetes e são ligados às bandas.

O arco é apertado, estimulando a movimentação dental. Assim, os dentes são tracionados, o que faz com que eles se movimentem gradualmente para a posição correta. 

Geralmente, os aparelhos fixos são apertados de mês em mês e o prazo para resultado costuma ocorrer a partir do segundo ano, mas há diferentes prazos que são estabelecidos de acordo com a necessidade do paciente.

O interessante desse tipo de tratamento ortodôntico é que é possível escolher cores para o aparelho, sejam mais vivas ou mesmo tons mais claros, conforme a preferência do paciente.

Aparelho transparente ou estético

O aparelho estético também é voltado para correção da mordida, oferecendo o mesmo tratamento dos aparelhos convencionais, melhorando imperfeições e o mau posicionamento dentário.

Contudo, diferentemente do modelo tradicional, não há uma grande interferência na aparência do paciente, melhorando a sensação de bem-estar e amenizando uma possível resistência ao tratamento.

Existem dois tipos de aparelhos invisíveis: o fixo transparente  e o lingual.

O primeiro tem a mesma estrutura de um aparelho fixo comum, porém seus materiais são transparentes, suavizando o aspecto metálico relacionado ao tratamento.

Já o modelo lingual também tem a estrutura semelhante ao tradicional, sendo que suas técnicas de implantação são distintas, já que o lingual é utilizado na face interna do dente, mantendo contato direto com a língua.

Aparelho fixo especial

O aparelho fixo especial é utilizado para controlar o hábito de chupar o dedo ou contribuir com a melhora da língua presa, podendo apresentar certo desconforto ao paciente.

Mantenedor de espaço fixo

Em casos de perda do dente de leite de forma precoce, um protetor de espaço é colocado para manter o espaço aberto até que o dente permanente apareça.

Esse tratamento é feito por meio de uma banda cimentada ao dente seguinte ao perdido e um fio é estendido no espaço até que o dente permanente nasça.

Aparelhos móveis

Os aparelhos móveis também são usados para fazer movimentações nos dentes e para organizar as funções da boca, como deglutição, mastigação, respiração e fala.

Atualmente, um modelo que pode ser entendido como móvel e que vem se destacando é o modelo de aparelho invisível.

Isso porque além da estrutura removível que facilita os cuidados bucais, esse aparelho é produzido com um molde sob medida da arcada em materiais transparentes, o que acelera o tratamento e reduz o impacto visual.

Portanto, para quem deseja um método de tratamento ortodôntico sem afetar a aparência, o indicado é que se consulte o profissional acerca do aparelho invisível para avaliar a possibilidade de uso.

Apesar desse destaque, existem diversos aparelhos móveis, como:

Niveladores

Os aparelhos móveis niveladores estão sendo usados cada vez mais entre os adultos e servem para mover os dentes da mesma forma que os fixos, porém sem os fios de aço e braquetes.

Esse aparelho nivelador é invisível e pode ser removido no momento em que o paciente queira comer, escovar os dentes ou passar o fio dental.

Mantenedores de espaço móveis

Esse tratamento ortodôntico tem a mesma função que o mantenedor de espaço fixo, mas são feitos com uma base acrílica que é encaixada na mandíbula e têm braços de plástico ou arame entre os dentes próximos ao espaço aberto.

Aparelhos reposicionadores de mandíbula

Também chamados de talas, os aparelhos reposicionadores de mandíbula são usados no maxilar superior ou na mandíbula. Eles têm a função de exercitar a mandíbula a fechar de forma mais adequada, ajustando a mordida.

Amortecedores

Os amortecedores de lábios e bochechas têm a função de manter os lábios e bochechas afastados dos dentes, evitando mordidas e feridas.

Quando os músculos dos lábios e bochechas fazem uma pressão sobre os dentes e os amortecedores, o amortecedor dá um alívio para a arcada dentária, também minimizando pressões e movimentações.

Expansor palatino

Esse tratamento ortodôntico serve para alargar o arco da mandíbula superior. Ele é feito por meio do uso de uma placa de plástico que se encaixa sobre o céu da boca.

A pressão externa que é implicada sobre a placa e parafusos força os ossos e tecidos do palato a se abrirem para os lados, alargando a área palatina.

Contentores móveis

Os contentores móveis são colocados no céu da boca e previnem que os dentes retornem à posição inadequada.

Esse tratamento ortodôntico também pode ser utilizado para evitar que a criança chupe o dedo e cause problemas estruturais na arcada dentária futuramente.

Aparelho extrabucal

Esse aparelho consiste em uma faixa que é colocada em volta da parte de trás da cabeça, ligada a um elástico na frente ou um arco facial.

Esse tratamento ortodôntico retarda o crescimento da maxila e mantém a posição dos dentes posteriores, enquanto os inferiores são pressionados para trás.

Procedimentos estéticos

Além dos tratamentos ortodônticos com aparelho, também é possível recorrer a tratamentos estéticos por meio da odontologia.

Assim, com a contribuição dos desenvolvimentos tecnológicos, também criou-se procedimentos para melhorar a aparência do sorriso. Confira os mais procurados nas clínicas odontológicas nos tópicos a seguir:

Lente de contato

As lentes nos dentes consistem em um tratamento voltado para atender quem deseja ter um sorriso mais alinhado, bonito e claro.

Esse procedimento é muito procurado nas clínicas devido a sua praticidade, sendo muito rápido e apresentando um efeito bastante significativo.

As lentes preenchem os espaços entre os dentes, reduzindo diastemas, além de contribuir com um melhor alinhamento e até com o comprimento dental. Sua maior recorrência, no entanto, é quanto a coloração da estrutura, que passa a ser mais harmônica e “brilhante”.

Implante dentário

O implante dentário é indicado para pacientes que perderam ou extraíram o dente e sua raíz, com impossibilidade de utilizar próteses e dentaduras.

Esse procedimento consiste em colocar um pino de titânio no maxilar e tem como objetivo dar apoio para a colocação de uma peça que substituirá o dente nessa estrutura

Geralmente, os pacientes recorrem ao implante dentário quando perdem o dente devido a cáries ou após tratamento inadequado para cáries e periodontite.

Esse procedimento de colocação de prótese sobre implante dentário melhora a mastigação e a harmonia da arcada dentária, sendo considerado estético e funcional. De modo geral, usa-se peças de porcelana para isso.

Clareamento dental

O clareamento dental tem o objetivo de tirar manchas e a coloração amarela do dente. Esse procedimento também é um dos mais famosos nas clínicas odontológicas pela sua praticidade e feito.

Existem dois tipos de procedimentos: o clareamento a laser e o clareamento dental com moldeira.

O primeiro é feito no próprio consultório do dentista, que aplica o gel clareador na arcada dentária e usa o laser para que o clareamento aconteça mais rapidamente, levando em torno de uma hora.

Já o segundo, pode ser feito em casa ou no consultório, ambos com supervisão de um profissional.

Por meio de uma moldeira elaborada a partir da impressora 3D e que deve ser usada diariamente no decorrer de algumas semanas, os géis clareadores agem na estrutura, recuperando a tonalidade/cor dos dentes.

Todos os procedimentos e tratamentos ortodônticos não só devem ser acompanhados por um profissional da área, como também precisam de cuidados com higiene bucal para a manutenção correta, garantindo uma boa saúde bucal e a durabilidade dos tratamentos.

Tipos de implantes dentários e tudo sobre estes!

Os implantes dentários são, na verdade, a substituição da raiz ou raízes de um dente ausente ou ausente.

Como as raízes dos dentes, os implantes dentários estão localizados dentro do osso maxilar e não são visíveis depois de colocados cirurgicamente.

Implantes dentários

São usados ​​para fixar coroas, pontes ou próteses e são feitos de titânio, que é leve, forte e biocompatível, o que significa que não é rejeitado pelo corpo.

Tipos com base em onde são colocados
Os implantes dentários são fabricados em diferentes tamanhos, alturas e tipos, e podemos diferenciá-los dependendo de onde são colocados em relação ao osso:

Implantes endósseos

Esses implantes são colocados dentro do osso maxilar ou maxilar.

Eles são feitos de titânio e têm a forma de parafuso. Eles são o tipo de implante mais comumente usado.

Implantes subperiosteais

Esses implantes são colocados no osso logo abaixo da gengiva.

Eles consistem em uma estrutura de titânio em forma de borda de osso que é posicionada como uma sela. Este tipo de implante é frequentemente usado em pacientes que não têm osso suficiente na mandíbula e os implantes endosteais não podem ser colocados.

Eles são raramente usados ​​e são indicados apenas em pacientes com maxilares com alta reabsorção óssea.

Implantes zigomáticos

Esses implantes são colocados quando não há osso suficiente na mandíbula superior e as técnicas de regeneração óssea não são possíveis.

Eles são colocados no osso zigomático ou malar, ou seja, nas maçãs do rosto. É o procedimento mais complicado.

Benefícios dos implantes dentários

Se os dentes foram perdidos, uma boa opção de tratamento é a colocação de implantes dentários como o invisalign ( o aparelho dentário invisível). Os implantes dentários ajudam a recuperar a funcionalidade e a estética perdidas ao serem capazes de comer, mastigar, sorrir, falar corretamente e ter uma aparência completamente natural novamente.

Tudo sobre implantes dentários

Um implante dentário é um parafuso que substitui a raiz de um dente quando ele falha. Como as raízes dos dentes, os implantes dentários estão localizados na mandíbula e não são visíveis depois de colocados cirurgicamente.

Eles são usados ​​para apoiar coroas, pontes ou dentaduras e, portanto, reabilitar a ausência de um ou mais dentes.

O material do implante

Os implantes dentários são feitos de titânio, que é um material leve, forte e biocompatível, o que significa que não é rejeitado pelo corpo.

O titânio tem a propriedade de se fundir com o osso, propriedade denominada osseointegração, que é a base biológica para o sucesso dos implantes dentários.

Quem pode obter implantes

De modo geral, se você perdeu dentes, sei que é um candidato a implantes dentários. No entanto, uma boa saúde é importante, pois existem algumas condições e doenças que podem afetar o sucesso do tratamento.

Por exemplo, diabetes não controlada, câncer, radiação nas mandíbulas, tabagismo, alcoolismo ou doença periodontal não controlada podem afetar a integração dos implantes com o osso.

Como um implante é colocado

Onde e como os implantes são colocados requer uma avaliação prévia detalhada do sistema estomatognático. Isso exigirá a obtenção de registros, como modelos de estudo de mordida e boca e raios-X, que podem incluir scanners 3D. O planejamento garante que os implantes dentários possam ser colocados na posição correta no osso.

A colocação de implantes dentários requer um procedimento cirúrgico em que são feitos orifícios no osso e, em seguida, os implantes são colocados nesses locais, alcançando o contato íntimo com o osso para que ocorra a osseointegração.

Geralmente, leva de dois a seis meses para que a fusão ocorra com o osso antes que as restaurações finais possam ser colocadas sobre eles.

Como eles devem cuidar de si mesmos

Os implantes requerem manutenção. É importante manter uma boa higiene oral diária, incluindo escovação e uso do fio dental para controlar a placa.

Também é importante visitar regularmente o dentista e o higienista dental, que monitorará o estado dos implantes para garantir que a integridade da osseointegração seja estável e que as coroas, pontes ou dentaduras nos implantes funcionem corretamente.

Odontologia mínima ou não invasiva: tratamentos

Odontologia minimamente invasiva (IMO) é um conceito que pode abranger todos os aspetos da odontologia e dos tratamentos de saúde bucal.

O objetivo comum é a preservação do tecido, evitando que a doença ocorra e intercetando seu progresso, mas também removendo e substituindo com a menor perda de tecido possível.

Isso implica que pequenas obturações não são feitas para restaurar lesões incipientes ou não remover cirurgicamente dentes do siso impactados ou terceiros molares sem sintomas como procedimentos de rotina.

Filosofia da Odontologia Minimamente Invasiva
O conceito preenche a lacuna tradicional entre a prevenção e os procedimentos cirúrgicos, que é exatamente o que a odontologia precisa hoje.

Manutenção de tecidos

Tratamentos minimamente invasivos oferecem bons resultados sem sacrificar a estrutura dentária saudável ou desistir de manter os dentes naturais na velhice. O objetivo é trabalhar para manter as estruturas de suporte e o tecido dentário vitais e saudáveis ​​pelo maior tempo possível.

A odontologia minimamente invasiva defende a mudança de “substituição” para “reparo”: agora há uma nova priorização para respeitar o tecido original. O uso de brocas e obturações grandes tornou-se mais um último recurso do que uma resposta automática.

Uso de tecnologia

Esse tipo de odontologia é possível graças às inovações tecnológicas e ao surgimento de materiais inovadores que foram desenvolvidos nos últimos anos.

Os tratamentos restauradores tradicionais que incluem muitos piercings estão fora, e a odontologia minimamente invasiva está na moda. Esta abordagem menos é mais é eficaz e muito mais encorajadora para adultos e crianças.

Graças aos mais recentes materiais, dispositivos e técnicas biocompatíveis, os mesmos ou melhores resultados podem ser alcançados a um custo biológico muito mais baixo.

Além disso, nas clínicas odontológicas existem aparelhos diagnósticos por raios-x que oferecem imagens de alta definição, qualidade e detalhadas da situação da boca e dos dentes, evitando exames invasivos e sem submeter o paciente a radiação excessiva.

Comunicação e prevenção

A comunicação e a confiança entre o dentista e o paciente é muito importante, por isso o dentista deve se comprometer a informar sobre todos os conceitos necessários para prevenir doenças e para que o paciente possa adotar um compromisso pró-ativo na prevenção e tratamento de problemas. Desta forma, todos os tipos de protocolos podem ser desenvolvidos para obter um diagnóstico precoce e prevenir problemas futuros.

Exemplo de tratamento: cárie

Um exemplo típico de caso de odontologia minimamente invasiva é como um tratamento de cárie é proposto.

Tradicionalmente, a cárie dentária é tratada com o uso da turbina e obturação com diferentes materiais.

Objetivos do tratamento

A odontologia minimamente invasiva, neste caso, tem dois objetivos:

  • Pare as cáries
  • Preserve o máximo de estrutura dentária possível
  • Este segundo objetivo será possível no tratamento de lesões de cárie precoces e moderadas.
  • Estratégia: abordagem baseada em evidências

A estratégia consiste em:

  • Detetar lesões de cárie precoce
  • Realizar uma avaliação abrangente de risco de cárie
  • Tome decisões clínicas e crie um plano de atendimento personalizado.
  • Em suma, é uma nova prática clínica que atinge seus objetivos médicos e estéticos por meio de:
  • Prevenção
  • Diagnóstico precoce
  • O uso de técnicas e tratamentos menos agressivos

Conclusão

Esta disciplina permite-nos abandonar tratamentos mais agressivos como as talhas que são feitas para colocar coroas de metal-porcelana e recuperar a forma, função e estética perdida dos dentes de forma mais respeitosa e assim conseguir a máxima conservação dos tecidos saudáveis. A odontologia minimamente invasiva está intimamente relacionada aos avanços tecnológicos.

Em qualquer tratamento a ser realizado, procuramos ser o menos invasivos possível para preservar ao máximo a estrutura dos tecidos dentais e orais, evitando danificar ou eliminar os tecidos saudáveis.

São utilizados biomateriais que se integram à cavidade oral criando baixo impacto visual e biológico e evita-se o uso de materiais que possam causar efeitos colaterais, como o amálgama de prata devido ao seu teor de mercúrio.

A odontologia preventiva e as rotinas de saúde bucal permanecem fundamentais para estabelecer um sorriso saudável. A prevenção é a base da odontologia minimamente invasiva. Exames dentários continuam a avaliar o risco de cáries e lesões de cárie com um foco maior na deteção precoce e prevenção da doença.

Pesquisas de ponta confirmam que existem muitas estratégias nas quais a estrutura dentária original pode ajudar a se reparar por meio da remineralização. Novos materiais biocompatíveis permitem aos dentistas tratar lesões para prevenir futuras obturações de cavidades.

Manual de bons hábitos se usas ortodontia invisível

Muitos de nossos pacientes são submetidos a tratamentos ortodônticos para solucionar problemas de alinhamento dentário e mordida. Graças a sistemas como ortodontia invisível, ou aparelho ortodôntico, é possível desfrutar da saúde bucal enquanto melhora a estética dos dentes. Uma das chaves para o sucesso desses tratamentos é a manutenção de bons hábitos. Abaixo algumas dicas muito úteis.

Manual de bons hábitos se usas ortodontia

Bons hábitos se você usa ortodontia: higiene dental é essencial

Um dos pilares da boa saúde bucal é a higiene. A escovação com creme dental, o uso de fio dental e enxaguatórios bucais – sempre orientados pelo especialista – são a forma mais eficaz de evitar a ação de bactérias e o aparecimento de patologias como cáries ou periodontites.

Após a colocação de um sistema ortodôntico, o paciente não deve descuidar desses hábitos, pois deles dependerá em grande parte a correta evolução do tratamento e o bom estado dos dentes. Dependendo do tratamento, a higiene deve ser mais ou menos completa. No caso da Ortodontia invisível, por ser um sistema removível, permite a retirada da tala tanto para limpeza quanto para escovação.

Por outro lado, se você usa aparelho ortodôntico, é aconselhável dedicar um pouco mais de tempo à higiene, pois é comum que restos de comida fiquem presos. Existem pincéis desenhados especificamente para facilitar a tarefa e também é conveniente incluir o uso de um irrigador oral na rotina.

Tome cuidado especial com sua dieta

Outro dos bons hábitos do uso de ortodontia que você deve levar em consideração é o controle dos alimentos que ingere. Os sistemas de suporte, sejam de safira, porcelana, metal ou lingual, podem quebrar se alimentos duros ou pegajosos forem mastigados. Portanto, enquanto esses tratamentos ortodônticos duram, é importante evitar alimentos com casca, como nozes ou frutos do mar.

No caso da ortodontia invisível, o paciente pode retirar a tala para se alimentar e assim prevenir qualquer um desses problemas.

Respeite os tempos de tratamento

Qualquer que seja o tratamento ortodôntico a seguir, sua duração é determinada através do diagnóstico, e posteriormente é regulada de acordo com a evolução. Para que o tratamento tenha sucesso, é necessário que o paciente use o aparelho / tala pelo tempo definido pelo especialista. Isso é algo a se ter em mente principalmente no caso de tratamentos ortodônticos removíveis, onde o paciente deve retirar o alinhador apenas para comer ou para a rotina de higiene bucal.

Siga as instruções do especialista á letra

Seja qual for o seu tratamento ortodôntico, você deve rever periodicamente sua evolução na clínica odontológica. Essas sessões de controle são essenciais, pois o especialista determinará se o progresso é esperado e também poderá orientá-lo ao longo do tratamento. Durante essas sessões, o paciente pode fazer perguntas sobre como usar a cera para os braquetes, como colocar corretamente os elásticos do aparelho ou como proceder se um braquete se desprender ou quebrar, entre outras questões.

Clínica do Marquês, sempre consigo

Se quer melhorar a saúde e a estética de seus dentes, não pense mais. Marque uma consulta e iremos informá-lo sobre os diferentes tratamentos ortodônticos em Lisboa.

Odontologia de baixo custo pode danificar seus dentes

“Nem tudo vale em questões de higiene bucal.” Essa frase, contundente mas necessária, está diretamente relacionada a uma necessidade: a consciência do que pode prejudicar nossa saúde bucal. E muitas vezes é fácil cair em certos tipos de ofertas que, embora ofereçam técnicas de qualidade duvidosa, os seus preços apelativos e as suas embalagens promocionais as tornam atrativas para o consumo. Como veremos a seguir, confiar nossa saúde bucal a serviços e produtos de baixo custo pode levar a sérios problemas de saúde.

Odontologia de baixo custo pode danificar seus dentes

Produtos de higiene e clareamento dentário

Há pouco tempo, uma famosa rede de supermercados recebeu um edital do COEM (Faculdade de Dentistas e Estomatologistas da Região I) para retirar da venda ao público um conjunto de polimento dentário. Esse produto, vendido a um preço bastante acessível, consistia em uma série de gadgets que, segundo os dentistas, deveriam ser usados ??apenas por profissionais da área odontológica. A razão é que seu uso inexperiente pode causar grandes prejuízos à saúde bucal dos usuários.

Por outro lado, a mania resultante da pasta de carvão ativado levou muitas pessoas a usar este produto como um substituto da pasta de dente para clarear os dentes. Nesse caso, há dois problemas: o carvão ativado é muito abrasivo para o esmalte dos dentes – pode danificá-lo. Além disso, é ineficaz para fins de higiene dental, facilitando o aparecimento de patologias como cáries.

Esses são apenas dois exemplos de como o marketing de certos produtos de baixo custo e a desinformação podem levar a práticas ineficazes que podem ter efeitos prejudiciais à nossa saúde.

Clínicas odontológicas de baixo custo

Outro aspeto muito importante é a escolha da clínica odontológica. Embora exista uma vasta gama de serviços odontológicos a preços de baixo custo, temos que pensar que a qualidade dos tratamentos que iremos obter pode não cumprir os parâmetros de qualidade necessários para ser satisfeita.

Os preços muito baixos dos serviços odontológicos implicam na redução de custos com materiais, tecnologia, tempo de diagnóstico e pessoal. Em suma, as pechinchas representam um declínio muito palpável na qualidade.

Na Clínica Odontológica do Marquês recomendamos que não se deixe guiar por ofertas ou falsas promessas no que diz respeito aos cuidados com a saúde bucal. Na nossa clínica iremos orientá-lo ao longo do diagnóstico e na escolha do tratamento, colocando à sua disposição instalações totalmente equipadas. Sem experiências, sem surpresas desagradáveis e com a garantia de qualidade e atendimento personalizado.

TRATAMENTO ORTODÔNTICO COM CIRURGIA ORTOGNÁTICA

Quando o ortodontista após um diagnóstico rigoroso que envolve uma série de registros radiológicos (às vezes dependendo do caso com formato tridimensional de TCFC), registros fotográficos, montagem do articulador e quando há patologia articular com ressonância eletromagnética e tudo isso de forma tridimensional visualizar; vertical, transversal e sagital, informa ao paciente que seu problema dentário é de origem esquelética e que a possibilidade de corrigi-lo apenas com a ortodontia não é possível ou conveniente, ele fica desapontado e geralmente bloqueado, pois o motivo da consulta costuma ser para melhorar a estética de seus dentes.

QUANDO E POR QUE, EM UM CASO DE ORTODÔNTICA, A CIRURGIA ORTODÔNTICA DEVE SER FEITA?

É necessário distinguir entre problemas de origem esquelética onde a ortodontia pode ser realizada por meio de compensações dentárias e outros onde apenas os aspetos estéticos podem ser melhorados (alinhamento, dentes rotacionados …) mas sem corrigir a má oclusão e a estética facial.

CIRURGIA ORTOGNÁTICA

Mas há outros casos em que a alteração da estrutura esquelética do paciente devido ao crescimento inadequado e muitas vezes devido à má respiração ou função lingual desde a infância, mesmo tendo usado ortodontia ortopédica funcional, torna impossível e também inadequada a movimentação dos dentes mesmo que é melhorar apenas esteticamente e que somente a combinação da ortodontia com a cirurgia ortognática é a única possibilidade de solucionar a má oclusão, a estética dentária e restaurar a harmonia facial.

Diante dessa única possibilidade, a grande maioria dos pacientes passa por um período de incertezas, dúvidas, medos e avaliações para saber se vale a pena realizar um tratamento tão complexo. Por isso, normalmente a tomada de decisão deste tipo de tratamento é difícil para o paciente, pois é um tratamento que o assusta por se tratar de uma cirurgia complexa com anestesia geral e com um pós-operatório que ele imagina doloroso mas, curiosamente, o pós-operatório é incômodo, devido ao processo inflamatório agudo, mas não gera dor. Este processo inflamatório desaparecerá rapidamente nas semanas seguintes

Quando o paciente toma a decisão de se submeter ao tratamento ortodôntico com cirurgia ortognática, ele nunca deve considerá-lo por razões puramente estéticas, mas por razões funcionais e preservação da saúde dentária, (evitando a perda prematura de dentes altamente traumatizados devido à má oclusão) razões periodontais (melhorando recessões ) e articular, uma vez que uma boa oclusão retarda a deterioração articular e faz com que a ATM (articulação temporomandibular) funcione em uma situação mais favorável, mas também é verdade que a cirurgia ortognática proporcionará e restaurará a harmonia facial melhorando a estética do paciente.

QUEM SÃO OS MELHORES ESPECIALISTAS EM TRATAMENTOS CIRÚRGICOS ORTODÔNTICOS?

Este tipo de tratamento requer a colaboração estreita do ortodontista e do cirurgião maxilofacial que deve coordenar desde o início os aspetos do diagnóstico e do tratamento e o paciente deve ser totalmente informado pelos dois especialistas antes de iniciar o tratamento e tomar a decisão.

Qualquer ato médico pode ter riscos, mas este tipo de tratamento nas mãos de especialistas experientes é realizado com muita frequência e com resultados realmente satisfatórios.

Nos últimos dez anos temos assistido a um aumento significativo neste tipo de tratamento graças aos avanços no planejamento digital da cirurgia e avanços também no campo da cirurgia maxilofacial (instrumental, técnicas minimizando e melhorando o pós-operatório), contando também com o National panorama com cirurgiões com grande experiência neste tipo de cirurgia.

A combinação de um ortodontista com experiência no planejamento de casos ortodônticos para cirurgia ortognática e de um cirurgião com experiência neste tipo de cirurgia é essencial para se atingir os resultados desejados.

Um cirurgião maxilofacial pode ser um cirurgião muito bom em intervenções como tumores, acidentes…. Mas não ser adequado para cirurgia ortognática, pois é uma cirurgia que exige muita prática e muitos detalhes e ergonomia cirúrgica e onde tudo é previamente pré-estabelecido com cirurgia virtual que também foi coordenada com o ortodontista e com alguma intervenção tempos adequados.

Normalmente, um cirurgião com experiência neste tipo de cirurgia leva entre duas e três horas para realizar uma cirurgia bimaxilar (atuando em ambas as mandíbulas) e muito menos tempo se for unimaxilar (atuando em apenas uma mandíbula).

Um bom ortodontista também deve ter experiência neste tipo de má oclusão, pois o planejamento é mais complexo e deve, na primeira fase do tratamento ortodôntico prévio à cirurgia (ortodontia pré-cirúrgica), eliminar as compensações dentárias e coordenar os arcos para que o cirurgião possa realizar a cirurgia e após a cirurgia realizar outra fase da ortodontia (ortodontia pós-cirúrgica) onde a oclusão será ajustada, finalizando um tratamento que será de excelência se todos os parâmetros planejados forem cumpridos.

O TRATAMENTO ORTODÔNTICO COM CIRURGIA ORTOGNÁTICA É MAIS LONGO?

O tempo ortodôntico nesse tipo de caso não precisa ser muito maior do que os casos ortodônticos complexos que se resolvem sem cirurgia.

O certo é que há um tempo (entre dois e três meses) que podemos dizer que se soma à duração de qualquer tratamento ortodôntico.

Às vezes são tempos mortos do preparo cirúrgico onde novos registros serão feitos e toda a cirurgia virtual e a tala pré-cirúrgica serão planejadas, isso de acordo com o cirurgião pode durar alguns dias ou algumas semanas e o tempo de recuperação de um mês dependendo de cada caso onde o paciente deve se recuperar para poder continuar com a fase ortodôntica pois é necessário que sua boca esteja adequada para poder trabalhar bem tirando novos registros para continuar com a Ortodontia Invisível ou para continuar atuando com a ortodôntica aparelho de cintas.

Enquanto esse momento chega, o paciente é revisado tanto pelo cirurgião quanto pelo ortodontista para controle e estabelecimento das diretrizes na primeira fase pós-cirúrgica.

QUANTO CUSTA UM TRATAMENTO ORTODÔNTICO COM CIRURGIA ORTOGNÁTICA?

O preço desses tratamentos ortodônticos é mais caro devido à sua complexidade e por normalmente exigirem duas etapas ortodônticas (pré-cirúrgica e pós-cirúrgica), embora haja momentos em que a cirurgia é realizada antes da ortodontia (Cirurgia Primeiro) ou com um curto preparo . ortodôntica (cirurgia precoce)

O ortodontista que realiza esse tipo de tratamento tem experiência e formação sólida e, por se tratar de tratamentos que exigem mais especialização, os honorários são mais elevados do que os tratamentos ortodônticos sem cirurgia.

Os preços deste tipo de tratamento em função da técnica ortodôntica utilizada situam-se entre € 5.500 e € 9.000 (embora cada caso tenha as suas características particulares, pelo que pode haver oscilações nestes preços)

A estas taxas devem ser adicionadas as taxas da cirurgia, que dependendo dos procedimentos cirúrgicos podem variar entre € 4.000 – € 20.000 dependendo do tipo de cirurgia e do cirurgião.

A segurança social, em certas ocasiões, também realiza essas intervenções.

SUPORTES OU INVISALIGN SÃO MELHORES PARA CASOS ORTODÔNTICOS COM CIRURGIA ORTOGNÁTICA?
Como em qualquer tipo de tratamento ortodôntico com ou sem cirurgia, o importante é o diagnóstico e o planejamento, ou seja, “saber o que fazer” e as Técnicas são as ferramentas à disposição do ortodontista.

Hoje a Técnica Ortodôntica Invisível com alinhadores é uma das melhores opções já que o ortodontista possui uma ferramenta que permite o planejamento e sequenciamento virtual detalhado, incluindo o salto virtual da cirurgia.

No momento da cirurgia, o cirurgião necessita de elementos de ancoragem (tradicionalmente sempre foram bráquetes) que também são necessários para a cerclagem pós-cirúrgica, por isso muitos cirurgiões continuam solicitando que o paciente vá para a cirurgia com aparelho ortodôntico, embora já existam cirurgiões que são substituídos por mini parafusos de ancoragem óssea.

Porém, se o caso for realizado com a técnica Ortodôntica Invisalign Invisível e o cirurgião solicitar braquetes, estes são colocados entre quatro e seis semanas antes da cirurgia e são mantidos por um ou dois meses até que possam ser removidos e o caso possa ser completado com Ortodontia com alinhadores.

Conheça os alimentos que colaboram com pele e dentes saudáveis

É inegável que existe uma busca constante por mudanças relacionadas ao corpo, principalmente na pele, no cabelo e nos dentes. Mas, você sabia que essas mudanças podem estar relacionadas à alimentação? Confira, neste artigo, como cabelo, pele e dentes saudáveis podem se relacionar diretamente com os hábitos alimentares.

Conheça os alimentos que colaboram com pele e dentes saudáveis

Em cada situação, ou seja, para cada parte do corpo, seja cabelo, dentes ou pele, os procedimentos estéticos funcionam, obviamente, de maneira diferente. 

Para tratamentos odontológicos, por exemplo, as opções são variadas, todas com o objetivo de transformar e embelezar o sorriso das pessoas, como o clareamento dental.

Contudo, um cardápio balanceado consegue, por meio de diversos nutrientes, suprir necessidades de diferentes partes do corpo, melhorando sua aparência e fortalecendo a saúde desses tecidos.

Desse modo, as medidas podem ser conciliadas para agregar ainda mais qualidade de vida, beleza e bem-estar aos pacientes, por exemplo.

Alimentação e estética

Como dissemos, existe uma relação muito importante entre a alimentação e qualidade dos cabelos, das peles e dos dentes. 

Os alimentos são fundamentais para que as pessoas tenham uma vida de qualidade, saudável e próspera, visto que são cruciais para diversos aspectos do funcionamento corporal, como regulação da energia e fortalecimento da imunidade,

Entretanto, essa qualidade também é uma questão de escolha. 

Isso porque, muitas pessoas optam, por exemplo, por não cuidar da alimentação, ou mesmo não compreendem o impacto que determinados produtos têm no corpo, consumindo alimentos que não são benéficos. 

Inclusive, em muitos casos, esses produtos são prejudiciais, principalmente quando consumidos em excesso, tais como:

  • Alimentos ricos em gordura;
  • Alimentos açucarados;
  • Refrigerantes;
  • Carboidratos em excesso.

Já para as pessoas que optam por ter uma alimentação saudável, mesmo que não siga uma dieta específica, os benefícios podem ser os mais variados possíveis, como fortalecimento dos dentes, aumento do brilho e a beleza do cabelo, bem como o rejuvenescimento da pele.

Nesse sentido, listamos alguns alimentos que podem fazer bem para o corpo, de modo que possam contribuir para uma melhor nutrição de pelo menos um desses três aspectos. Confira:

Peixes

Peixes, essencialmente quando consumidos sem muito óleo, são ricos em ômega 3 e são alimentos que fazem muito bem para a pele, pois ajudam na prevenção do envelhecimento das células.

O mesmo ocorre com os cabelos, que podem ser fortalecidos e renovados, também prevenindo a queda e ajudando no aumento do brilho. 

Além disso, os peixes são excelentes fontes de cálcio, ajudando na resistência dos dentes e reforçando o esmalte.

Laticínios

Os laticínios, como queijos e demais derivados do leite, por exemplo, são ótimos alimentos para o fortalecimento dos dentes, pois são ricas fontes de proteínas e, especialmente, de cálcio. 

Por conta desse nutriente, os ossos e a sua resistência também podem ser ampliados.

Verduras escuras

As verduras escuras, como pepinos, couve, brócolis, entre outros, são ótimas fontes de vitaminas, além de ferro, potássio e outros minerais. 

Dessa forma, o consumo de verduras escuras ajuda, de diversas maneiras, a ter um organismo mais saudável, uma pele mais qualificada, dentes fortalecidos e o cabelo mais vivo.

Outros alimentos

Existe, ainda, uma extensa lista de alimentos que podem ser consumidos para melhorar a saúde geral do corpo, bem como sua aparência, claro, sempre sem exagerar nas quantidades durante as refeições para que o efeito contrário não ocorra.

Assim, é importante conhecer mais alguns alimentos que podem trazer uma série de benefícios para você. São eles:

  • Cereais;
  • Castanhas;
  • Ovos;
  • Frutas;
  • Feijão.

Procedimentos bucais

Ainda que o consumo dos alimentos adequados possam ajudar a ter uma pele mais bonita e dentes mais fortes, por exemplo, existem diversos procedimentos que também ajudam nesse processo.

Tratamentos estéticos são muito comuns para a pele, mas também existe uma área específica da odontologia que é especializada na prática de procedimentos estéticos para os dentes, conhecida como dentística.

Nesses casos, com um especialista da área, é possível realizar diversos aperfeiçoamentos na face e sorriso, como a colocação de lente de contato dental, que é um excelente tratamento para embranquecimento dos dentes que se tornaram amarelos com o passar do tempo e melhorar seu alinhamento.

Além disso, existem tratamentos que também fazem parte da gama de processos estéticos, mas que muitas vezes também são utilizados por necessidade, principalmente durante a infância e adolescência, que é a fase em que as pessoas ainda estão formando a aparência da sua arcada dentária.

O aparelho ortodôntico, por exemplo, é um dos objetos odontológicos mais comuns para correção do alinhamento, mordida, apinhamento e oclusão, sendo frequentemente indicados, seja por maus hábitos durante a primeira infância ou mesmo questões genéticas

Apesar de ser um processo que pode ser incômodo para alguns usuários, principalmente devido ao impacto na aparência por conta dos braquetes e fios de metal, ele traz ótimos resultados na condição do posicionamento dos dentes e da formação da mordida.

Contudo, devido aos diversos avanços e compreensão desse impacto na adesão do tratamento, outros modelos que visam atender a estética foram desenvolvidos.

Com isso, não existe apenas um tipo de aparelho de dente, sendo esse apenas um dos modelos. O fixo, por exemplo, como o próprio nome já indica, é fixado nos dentes, só podendo ser retirado com a ajuda de profissionais. 

Por outro lado, existem também os aparelhos móveis, invisíveis e transparentes, que são mais sofisticados e possibilitam que as pessoas tirem em momentos de necessidade, tornando o uso mais flexível e confortável.

Por fim, o implante dentário é mais um procedimento que pode trazer um sorriso de qualidade para a sua boca. 

Os implantes são colocados para que próteses dentárias possam ser posicionadas. Eles podem ser utilizados quando uma pessoa perde um ou mais dentes, ou também quando não está feliz com a aparência do seu sorriso, promovendo um sorriso bonito e completo mesmo após o trauma da perda dental.

Inclusive, com a alimentação e cuidados corretos no cotidiano, a adesão a esses procedimentos pode ser melhorada, trazendo ainda mais qualidade de vida e beleza.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Qualivida , site no qual é possível encontrar diversas informações, dicas e conteúdos ricos sobre os cuidados com a saúde física e mental.

Procedimentos estéticos na odontologia, o convênio tem obrigação de cobrir?

O crescimento de procedimentos estéticos na odontologia é bastante notável. Isso porque, cada vez mais pessoas buscam por clínicas ou consultórios para realizar tratamentos estéticos e cuidar dos dentes, ampliando a beleza do sorriso e o bem-estar, impactando na saúde geral.

São diversos tipos de tratamentos, desenvolvidos para construir ou reestruturar o sorriso, tornando-o mais bonito e até mais saudável.

Entretanto, será que são todos os planos ou convenio odontologico empresarial que disponibilizam essas práticas para os clientes?

Neste artigo explicaremos o que são procedimentos estéticos, o que são convênios odontológicos, quais os tipos de planos, o que eles precisam cobrir obrigatoriamente, os cuidados que as pessoas precisam ter no seu cotidiano e tratamentos de planos complementares. Confira.

O que são procedimentos estéticos?

Procedimentos estéticos são tratamentos desenvolvidos para melhorar a estética de uma pessoa. Esse é um conceito bastante abrangente, pois pode envolver diversas partes do corpo.

Uma pessoa pode, por exemplo, buscar uma clínica ou cirurgião plástico para solicitar tratamentos como:

  • Botox;
  • Preenchimentos;
  • Peelings;
  • Silicones;


Contudo, a maior procura por procedimentos estéticos ocorre no rosto, pois costuma ser a área que mais afeta a autoestima e por ser o primeiro contato com o espelho ou com os demais.

Dessa forma, quando uma pessoa procura por alguns desses tratamentos, ela está justamente tentando mudar alguma parte do corpo que a incomoda, impactando em seu pleno bem-estar.

A odontologia também está cada vez mais atuante nesse cenário, visto que podem se especializar nos tratamentos estéticos, por conta da autorização ampliada a esses profissionais, bem como a proximidade dos tratamentos com a cavidade.

Assim, é cada vez mais comum que pessoas procurem os dentistas de seu plano odontologico para entender se eles realizam tratamentos estéticos, buscando melhorar a aparência da arcada dentária e, consequentemente, do sorriso., melhorando toda a saúde

O que é um convênio odontológico?

Para entender se os planos odontológicos disponibilizam esse tipo de procedimento para os seus pacientes ou não, é preciso entender – primeiramente – o que é, por exemplo, umplano odontologico empresarial.

A odontologia é uma área que apresenta uma alta demanda de atendimento, pois a saúde bucal é uma parte fundamental da vida da população.

Nesse sentido, existem algumas opções de trabalho para os profissionais dessa área, sendo elas as:

  • Clínicas particulares;
  • Clínicas públicas;
  • Consultórios próprios;
  • Hospitais.

Contudo, nem sempre é possível, ou mesmo é o desejo do profissional montar um consultório próprio, pelos custos de aluguel da sala, compra de equipamentos, contratação de ajudantes, entre outros fatores.

Dessa maneira, uma opção mais simples é procurar por espaço dentro de uma clínica, seja privada ou particular. Geralmente, essas clínicas são voltadas exclusivamente para atendimento odontológico e podem ser credenciadas em convênios.

Já no caso de o dentista desejar abrir sua própria clínica, também é possível vincular a um plano odontológico, sendo muito benéfico para atrair clientes e construir a carteira de pacientes.

Isso porque, basicamente, o plano consiste em uma operadora que realiza o intermédio entre clínicas e pacientes, permitindo o acesso a uma vasta rede de atendimento de forma facilitada e mais acessível.

Isso é muito vantajoso para ambos, pois reduz os custos gastos em procedimentos e permite que a clínica amplie seus atendimentos com segurança e qualidade.

No uso do convênio, ao invés do paciente pagar por consultas ou tratamentos de forma individual, ele paga uma mensalidade, podendo receber atendimento dentro da rede sempre que necessário.

Portanto, um convênio odontológico é uma forma de diminuir os gastos com consultas, além de receber um atendimento mais qualificado, com profissionais experientes em um espaço bem organizado.

Modalidades de convênio e planos odontológicos

As operadoras oferecem diversas opções de plano odontológico e podem ser escolhidos de acordo com a necessidade, comparando os custos do mercado e os serviços oferecidos.

Nesse sentido, existem algumas modalidades de plano odontológico, oferecidos de acordo com suas necessidades e disponibilidade em cada momento, sendo que os principais são:

No individual, o plano é contratado pelas pessoas de forma livre, em contato direto com a operadora, ou mesmo um vendedor. Nesse caso, a pessoa arca com os custos referentes às mensalidades e tem acesso a diversos procedimentos.

No âmbito familiar, as pessoas fecham um plano para a família, diminuindo os custos de impostos e ganhando alguns descontos ou vantagens, devido ao maior número de vidas.

Naturalmente, se uma família de 5 pessoas fechasse um plano individual para cada membro, certamente os custos seriam mais altos do que fechar um plano coletivo familiar.

A terceira opção é o convenio odontologico empresarial, que normalmente é oferecido pelas empresas como um benefício complementar.

Dessa forma, além dos benefícios tradicionais, como vales e convênios médicos, as empresas estão cada vez mais oferecendo convênios odontológicos para que seus funcionários consigam realizar tratamentos dentais com maior tranquilidade.

Por fim, outra categoria, não menos importante, é a designada para Microempreendedores Individuais (MEI). 

Essa é uma categoria de trabalho diferente de outras, com diversas vantagens e distinções em relação a outras categorias empregatícias, inclusive considerando às necessidades e investimento que podem empregar na contratação do plano.

Dessa forma, muitas operadoras oferecem a possibilidade deplano odontologico para MEI, justamente para que os Microempreendedores Individuais possam ter acesso a consultas odontológicas que caibam no seu orçamento.

O que o convênio precisa cobrir obrigatoriamente?

Planos de saúde, independentemente se é um plano médico ou odontológico, precisa cobrir alguns tipos de atendimentos considerados básicos e essenciais para garantir a saúde da sociedade. Tais tratamentos são estabelecidos pelos órgãos reguladores como a ANS.

Na área da odontologia no Brasil, a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) que é a principal responsável pela regulamentação dos planos de saúde, configura que os planos odontológicos, independentemente de ser um plano empresarial, individual, familiar ou plano dental para MEI, precisa disponibilizar uma série de tratamentos para os seus pacientes.

No regulamento da ANS, são prescritos 76 procedimentos que um plano odontológico precisa obrigatoriamente trabalhar. Entre esses procedimentos, temos:

  • Consultas;
  • Atendimento emergencial;
  • Limpeza;
  • Restaurações;
  • Raio-x;
  • Extração de dente;
  • Cirurgias;
  • Outros.

Apesar de ser um número bastante expressivo de procedimentos que são obrigatórios, um plano dental coletivo empresarial não precisa, necessariamente, disponibilizar tratamentos estéticos para seus clientes, tais como:

  • Clareamento dental;
  • Tratamentos com aparelhos dentários;
  • Posicionamento de implante dentário;
  • Lente de contato dental.

Esses e outros tratamentos não são incluídos na base de procedimentos obrigatórios, justamente por serem considerados tratamentos estéticos e não serem considerados como essenciais para a saúde.

Ou seja, que são realizados apenas por um desejo de mudança das pessoas, e não por uma necessidade ou emergência.

Apesar disso, nada impede do convênio disponibilizar esses tratamentos. Por ser uma área em crescimento, em que a demanda é cada vez maior, disponibilizar esses procedimentos pode ser um diferencial para as clínicas e convênios.

Nesse caso, é preciso oferecer os pacotes de serviço oferecidos, pois além dos planos tradicionais, há opções premiuns, em que tratamentos mais complexos podem ser feitos e cobertos, inclusive os estéticos.

Além disso, quando há a cobertura por um convênio, geralmente há a opção de ressarcimento, com valor que também varia de acordo com o pacote escolhido.

Assim, é possível realizar os procedimentos que têm um maior custo com parte do valor amparado pelo convênio.

Outro ponto interessante que precisa ser destacado é que, apesar de alguns tratamentos estético não constar em diversos planos odontológicos, nada impede da clínica oferecer essa opção extra para os seus clientes.

Assim, o paciente pode realizar de forma particular e até com benefícios diretos da clínica, já que já há um relacionamento mais próximo.

Como escolher o melhor plano para você?

A escolha de qual é o melhor plano odontológico varia muito, indo de acordo com a necessidade de cada um.

Se a pessoa está procurando por atendimentos tradicionais, ou seja, aqueles que todas as clínicas oferecem, o raciocínio deve se basear nos custos e na proximidade, principalmente.

Entretanto, caso tenha interesse em tratamentos estéticos, é preciso fazer uma busca mais detalhada, procurando por clínicas e operadoras que oferecem esses procedimentos dentro do plano e quais os custos apresentados em cada empresa.

Dessa maneira, quando for buscar um plano odontológico, é importante avaliar o contexto, os procedimentos disponíveis, a qualidade do atendimento, os custos, o local, entre outros aspectos.

Essa avaliação é necessária para que as pessoas não acabem fechando com um convênio que não agrade ou que não proporcione os atendimentos necessários naquele momento.

Quais são os cuidados necessários no dia a dia?

Para finalizar, é fundamental destacar que, apesar do mercado de convênio odontológico ser bastante expressivo, tendo opções para todos os gostos e orçamentos, não basta depender unicamente da qualidade dessas clínicas e dos dentistas.

Nesse sentido, é essencial que todas as pessoas se orientem sobre os cuidados bucais que precisam ser adotados desde a infância, para que a saúde bucal seja prejudicada.

Inclusive, os convênios podem proporcionar um maior suporte sobre a forma correta de realizar tais rotinas.

A saúde bucal é muito importante, na mesma medida que a saúde do corpo e da mente. Cuidar dessas três esferas é indispensável, pois, naturalmente, uma afeta a outra.

Se você não cuida da sua saúde bucal, realizando algumas práticas simples de higiene, como escovação após as refeições, uso de fio dental, ou não se alimenta da maneira adequada, você pode ter problemas sérios na boca e nos dentes, bem como impactar no funcionamento do organismo.

Com isso, por exemplo, pode ocorrer o surgimento de cáries, apodrecimento dos dentes, queda, gengivite, periodontite, entre outras doenças relacionadas, que podem afetar o sistema cardiorrespiratório.

Além disso, se as pessoas estão com a saúde bucal debilitada, ela pode afetar diretamente em outras partes do corpo.

Como a grande maioria das doenças bucais são por decorrência de bactérias, como a gengivite, essas bactérias podem se espalhar e afetar outras áreas do corpo, gerando outras doenças ainda mais graves.

Portanto, é fundamental que cada um faça sua parte: conte sempre com a ajuda de um plano odontológico de qualidade, mas principalmente para tratamento de ajustes, e tenha boas práticas de higienização bucal no dia a dia, evitando que problemas mais sérios surjam ao longo da vida.

Assim, é possível recorrer aos tratamentos estéticos para complementar a beleza e saúde do sorriso, trazendo ainda mais qualidade de vida e bem-estar.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Networkflow, especializada em materiais para network, empreendedorismo e dicas para a saúde e qualidade de vida.

COMO SABER SE ESTÁ NAS MÃOS DE UM BOM ORTODONISTA.

Portugal é um dos países com os melhores tratamentos ortodônticos do mundo e isso é o resultado da boa formação de muitos de nossos ortodontistas

COMO SABE SE ESCOLHEU BEM E ESTÁ NAS MÃOS DE UM BOM ORTODONCISTA?

O ortodontista bem treinado fará um diagnóstico global de relações dentais, periodontais, esqueléticas, problemas da articulação temporomandibular da ATM, problemas funcionais e respiratórios e oferecerá a seus pacientes um diagnóstico rigoroso para alcançar boa função e estabilidade tanto no nível dentário. articulado e funcional, informando sobre as limitações e possibilidades de tratamento.

Para o diagnóstico, precisará de bons registros radiológicos; Serão confeccionados ortopantomografia, telerradiografia lateral do crânio, cefalometrias e fotos e alguns modelos de estudo.

Estes são os registros básicos porque em outras ocasiões registros com reconstrução tridimensional de CBCT também são solicitados

Mas nem sempre são os únicos exames, pois dependendo do caso e das características clínicas de cada paciente, em muitas ocasiões será necessário solicitar ressonância magnética da ATM se o exame clínico mostrar alterações e também quando o paciente relatar dor ou bloqueios.

A solicitação de uma tomografia para ver a relação da raiz dos dentes com o osso ou para ver os dentes incluídos ou retidos também são registros de rotina, caso o ortodontista considere necessário para o diagnóstico.

A montagem do articulador também será necessária nos casos que assim o exigirem.

A chave está no diagnóstico e o diagnóstico é feito com base nos prontuários e sua interpretação e é o conhecimento do especialista que vai diferenciar o plano de tratamento e com ele o resultado do tratamento ortodôntico.

Por isso, é o ortodontista que coloca a tecnologia a seu serviço, sabendo interpretá-la e tomar as decisões mais adequadas para oferecer o melhor tratamento ortodôntico.

COMO SABER SE VOCÊ ESTÁ NAS MÃOS DE UM BOM ORTODONISTA.

O MELHOR ORTODONTISTA QUER INICIAR O SEU TRATAMENTO O MAIS CEDO POSSÍVEL?

Normalmente, os tratamentos ortodônticos em um adulto podem esperar.

Em primeiro lugar, quaisquer problemas dentários e periodontais devem ser resolvidos.

Às vezes, uma fase de desprogramação com uma tala será necessária para estabilizar e melhorar os problemas da ATM, tensão muscular facial e dor.

Esses tratamentos anteriores supõem um tempo anterior à ortodontia, o que muitas vezes leva muito tempo para o paciente, mas um ortodontista com rigor clínico e profundo conhecimento não iniciará o tratamento ortodôntico se considerar que alguma fase anterior ao planejamento ortodôntico é necessária.

Isso não acontece em tratamentos ortodônticos em crianças, onde a ação nos estágios iniciais costuma ser decisiva.

O diagnóstico ortodôntico em crianças e as providências cabíveis determinarão o desenvolvimento oral e facial da criança por toda a vida.

Sólidos conhecimentos em crescimento craniofacial, o diagnóstico dos fatores etiopatogênicos e funcionais irão diferenciar claramente o melhor ortodontista em crianças.

É comum o ortodontista encaminhar a criança ao otorrinolaringologista para avaliação de rinite, problemas de adenóide e / ou tonsila para melhorar a função respiratória fundamental no desenvolvimento maxilofacial da criança e obter melhores resultados com os aparelhos ortodônticos determinados pelo ortodontista.

Também é importante, em muitas ocasiões, a colaboração com um especialista em fonoaudiologia e terapia miofuncional para melhorar problemas orofaciais.

QUE TÉCNICAS DE ORTODONTISTAS USAM OS MELHORES ORTODONTISTAS?

O avanço da tecnologia e dos novos procedimentos terapêuticos não devem ser ignorados por um bom profissional da área da Ortodontia, mas a tecnologia deve estar a serviço do profissional, não do profissional a serviço da tecnologia, pois a tecnologia nunca pode substituir o conhecimento da um especialista, mas pode fornecer ferramentas terapêuticas muito mais avançadas.

Qualquer que seja a técnica utilizada, um bom ortodontista diagnostica e planeja o tratamento para cada um de seus pacientes individualmente e o resultado deve ser o melhor tratamento.

Atualmente o Invisalign é uma opção terapêutica muito mais avançada e nas mãos de um bom ortodontista atinge os mesmos ou melhores resultados que os colchetes.

Um tratamento ortodôntico não é cimentar braquetes, colocar alinhadores ou aparelhos interceptores, funcionais ou ortopédicos.

Um bom tratamento ortodôntico é o resultado de um diagnóstico e de um plano de tratamento bem sequenciado e que somente o treinamento e a experiência do ortodontista alcançarão os melhores resultados para a saúde do paciente.